A ejaculação precoce é um problema muito comum entre os homens, que pode ter um forte impacto sobre a qualidade de sua vida sexual, além de gerar insegurança e situações de insatisfação para a parceira. Contudo, a falta de controle sobre a ejaculação tem solução. E o primeiro passo é procurar por orientação médica para identificar as causas do problema, que pode variar de paciente para paciente. Saiba mais.

Principais causas

Não existe uma causa específica para a ejaculação precoce, e sim vários fatores que podem influenciar esse transtorno. Dentre eles, podemos citar dois tipos:

  • Fatores psicológicos: ansiedade, problemas no relacionamento amoroso e sexual e disfunção erétil.
  • Fatores biológicos: desequilíbrio hormonal, aumento nos níveis de neurotransmissores, inflamação na próstata, inflamação na uretra, distúrbios de tireóide, fatores genéticos, problemas relacionados ao sistema nervoso ou qualquer atividade anormal do sistema ejaculatório.

Estudos apontam que casos de disfunção erétil (dificuldade de se  conseguir ou manter uma ereção peniana) podem facilitar o aparecimento desse problema, pois o receio de perder a ereção leva muitos homens a ejacular antes do tempo.

Outro fator de risco que acaba influenciando homens adultos a ejacular precocemente é o estresse e a instabilidade emocional, pois limitam a habilidade do indivíduo de se concentrar. Já a ansiedade durante a relação sexual pode ser oriunda de problemas externos, envolvendo o relacionamento, o trabalho ou a família. Doenças cardiovasculares também podem deixar os pacientes ansiosos e atrapalhar o ato sexual.

Sintomas

O sintoma mais óbvio é quando a ejaculação acontece antes do esperado, seja durante o sexo ou a masturbação. Embora seja comum que os homens mais jovens, que ainda estão iniciando sua vida sexual, possam sentir alguma dificuldade em retardar a ereção durante o ato, é aconselhável procurar orientação médica quando esse problema é recorrente.

Confira também:  Green Coffee Turbo : O Poder do Café na Redução de Peso

Os médicos classificam a ejaculação precoce em primária e secundária. Na primária, o paciente sempre passou por esse problema. Já a secundária acontece quando o homem tinha uma vida sexual satisfatória e, por algum motivo, passa a manifestar esse problema.

Tratamento

Existem diferentes formas de tratar esse transtorno. Uma delas são as técnicas de controle da ejaculação, capazes de prolongar o tempo do ato sexual. Essas técnicas, como interromper a penetração, pensar em fatores pouco estimulantes ou mesmo utilizar camisinhas que diminuem a sensibilidade do pênis podem ser trabalhadas em conjunto com a parceira(o) durante o sexo ou mesmo durante a masturbação.

Entretanto, em casos como problemas psicológicos ou mesmo ansiedade excessiva, o acompanhamento de um médico, psicólogo ou terapeuta pode ser necessário para tratar o problema e garantir uma vida sexual saudável ao paciente.

Também existem medicamentos voltados para o tratamento de ejaculação precoce, incluindo cremes anestésicos que deixam o pênis menos sensível aos estímulos. Em alguns casos, o uso de remédios antidepressivos também podem ser receitados ao paciente. Entretanto, os homens não devem utilizar nenhum medicamento por conta própria, a fim de não prejudicar a própria saúde. O mais aconselhável é sempre buscar a ajuda de um profissional.

Para os adolescentes que sofrem com esse problema, o amadurecimento sexual também pode ser uma solução. Além disso, com a prática, a tendência é que o indivíduo passe a conhecer e controlar melhor o próprio corpo.

Esperamos que tenha gostado de aprender um pouco mais sobre as causas e o tratamento da ejaculação precoce. Continue acompanhando nossos conteúdos e confira dicas para uma vida sexual saudável e plena.

Fonte: homemseguro.com